PERSONAGEM

Psicologia online como diferencial para encarar as incertezas

As angústias e a insegurança sobre o futuro, em razão da pandemia da covid-19 e seus desdobramentos, têm provocado na população um turbilhão de comportamentos, que podem ir desde a baixa produtividade e o aumento da ansiedade, até a sensação de tristeza e os sentimentos de insatisfação e de medo.

                      

 Essas questões estão presentes na vida pessoal e profissional de várias pessoas que precisaram se adaptar ao novo cenário e encontrar possibilidades para se reinventar e seguir seus afazeres laborais.

Na área da psicologia, a necessidade de reinvenção não foi diferente e, embora a cultura brasileira tem a demonstração de afeto e o contato físico muito presentes, para que fosse possível continuar o tratamento através dos atendimentos psicológicos, a Vínculo Psicologia adequou um novo espaço e passou a atender seus clientes de forma remota.

A Vínculo é uma empresa chapecoense, com 12 anos de mercado e atualmente oferece à população regional, atendimento nas mais variadas áreas da saúde. Na área da psicologia, presta atendimentos individuais, para casais ou famílias, além de sessões de Hipnose Clínica Ericksoniana. Às empresas, oferece serviço de consultoria e mentoria na área de gestão de pessoas e de desenvolvimento humano. Levando em conta o atual contexto, o consultório está aberto apenas para situações emergenciais, seguindo todos os cuidados necessários. No entanto, os atendimentos psicoterapêuticos realizados pela psicóloga Kátia Caon Colombelli, seguem acontecendo de forma remota. “Embora os atendimentos online já estivessem autorizados pelo Conselho Federal de Psicologia antes da pandemia, essa ainda era uma prática pouco utilizada por profissionais na nossa região e pouco conhecida pelos clientes, que normalmente optavam pelo atendimento presencial. A ideia da adaptação para atendimentos nessa modalidade, surgiu pela necessidade de mantermos assistidos os clientes ativos, de maneira que, embora com outros recursos, pudessem manter o seu tratamento psicoterapêutico, mesmo à distância”, explica a psicóloga.  

Preocupada com a saúde mental de seus clientes, a psicóloga precisou sensibilizá-los sobre a importância de prosseguir com as psicoterapias. “No início enfrentei minhas próprias incertezas e as resistências dos clientes, que foram incentivados a zelar pela preservação da minha saúde e da deles, bem como, a manter o tratamento já iniciado e, em pouco tempo, fomos nos permitindo conhecer e usufruir desse formato de prestação de serviços, que oferece vantagens e desvantagens se comparado com o atendimento convencional. Até o momento, 86% dos clientes ativos já aderiram ao serviço e reconhecem evoluções dentro do esperado, mesmo preferindo o atendimento presencial. Ainda, no mês de maio, fui surpreendida com um crescimento de 100% na procura pelo atendimento clínico”, relata Kátia.

                  De acordo com a psicóloga, a procura aumentou justamente pelo momento incerto que as pessoas vivem na atualidade. “No meu ponto de vista, o atendimento psicológico deveria ser um direito de todos, principalmente pelo crescente número de doenças emocionais que afetam grande parte da população brasileira. Agora, ainda mais, pois precisamos aprender a reconhecer as nossas potencialidades, valores e forças pessoais para lidar com essa realidade que nos coloca de frente com nossos medos, ansiedades e incertezas, independente de estarmos dispostos ou não a encará-los”, destaca.

                   APOIO TÉCNICO

                   Neste sentido, o apoio do Sebrae/SC, através do Programa Agentes Locais da Inovação (ALI), tem sido imprescindível para a profissional estruturar novas metodologias e construir novas soluções para contribuir com o desenvolvimento do comportamento de resiliência nas pessoas. Recentemente, a empresária desenvolveu um programa de quatro horas, distribuído em três encontros. Para validação dessa solução, a empresa utilizou uma das ferramentas do ALI, que é o MVP (produto mínimo viável).

O primeiro encontro acontece de forma coletiva e os outros dois são individuais (todos de forma remota), para ensinar as pessoas a identificarem e potencializarem seus valores e suas forças pessoais, contribuindo para o desenvolvimento da autoconfiança, fortalecendo a saúde mental e melhorando a percepção sobre sentimentos e emoções, de maneira que possam se sentir mais fortalecidas para o enfrentamento desse novo cenário.

O programa “Forças e Valores Pessoais” é baseado nos conhecimentos da área da psicologia positiva, e é uma solução rápida e pontual, que será oferecido em três modalidades (individual, casal e empresarial) e em breve será comercializado. “A instituição me propiciou melhorar o controle dos indicadores e me desafiou a experimentar a oferta de novos produtos e serviços. Acredito que foi um diferencial no meu processo de desenvolvimento pessoal e empresarial, contribuindo para que eu me sinta mais confiante para o enfrentamento do atual cenário econômico”, finaliza Kátia.

A analista técnica do Sebrae/SC, Marieli Aline Musskopf, complementa que a inovação pode ser realizada por pequenas empresas e com modelo de negócio tradicional a partir de orientação proativa e personalizada. “Com o auxílio dos agentes locais de inovação os empresários desenvolvem soluções inovadoras baseadas nas necessidades de seus clientes. As adequações resultam em impacto direto na gestão empresarial, na melhoria de produtos/processos e na identificação de novos nichos de mercado”, explica.