Plataforma de vendas

Plataforma de vendas on-line e entidades unem forças para incentivar comércio digital

Quase 300 empresas já aderiram ao serviço que conta com gratuidade nos três primeiros meses

 

Do Sul do estado vem uma ideia inovadora e bem-sucedida para movimentar o setor comercial neste momento atípico causado pelo novo Coronavírus. A iniciativa surgiu ainda no início da pandemia, em abril, quando lojas, restaurantes, shoppings e outros estabelecimentos foram fechados por tempo indeterminado em cumprimento ao decreto do Governo do Estado. Diante deste cenário e sabendo as dificuldades que muitos negócios passariam, o ToPedindo – plataforma de delivery local e marketplace – cedeu um período de gratuidade por 90 dias para as empresas que aderissem ao sistema.

 

A ação faz parte da campanha Supera Criciúma, uma parceria do ToPedindo com a Prefeitura de Criciúma, Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) da cidade, com apoio do Sebrae/SC para consultorias gratuitas oferecidas aos pequenos empreendedores regionais no Sul do Estado. Chamada “Compre Digital do Comércio Local”, a iniciativa incentiva e facilita o comércio digital local, ou seja, num momento de queda no movimento de pessoas nas ruas, o que impacta diretamente nas vendas presenciais, as empresas têm a possibilidade de implantar ou migrar para as vendas on-line.

Neste caso, o ToPedindo disponibiliza a plataforma digital, a qual conta com aplicativo e site. Os estabelecimentos interessados realizam um cadastro e passam a oferecer os seus produtos de forma virtual. Os clientes compram pelo site ou aplicativo e a entrega é feita por delivery, através de outro parceiro da campanha, o MOP – Motorista Particular, aplicativo de transporte criado em Criciúma.

“O Compre Digital do Comércio Local é um movimento muito interessante para auxiliar o comerciante a não ficar de portas fechadas e para ter a sua presença digital. Inclusive, cedemos esse período de gratuidade em nosso marketplace para ajudar os estabelecimentos que tiveram queda nas vendas neste período de pandemia. O engajamento e o sucesso em Criciúma foram bem consideráveis, por isso estamos replicando esse projeto multi-institucional para outras cidades”, conta o sócio do ToPedindo, Luís Felipe Cardoso Fabris.

Logo nos primeiros 30 dias, a campanha já contou com uma grande adesão. Até o momento, quase 300 empresas aderiram ao serviço e mais de cinco mil clientes foram impactados. Durante o período de gratuidade, os custos ficam por conta do ToPedindo; a Prefeitura e a CDL apoiam na divulgação da campanha.

“A iniciativa gera visibilidade ao negócio e é uma oportunidade real de venda, mesmo durante o fechamento ou com o movimento baixo. O papel do Município é justamente esse, buscar alternativas e criar ações que reduzam o impacto da pandemia, que permitam que as empresas e os cidadãos sofram o menos possível neste período instável”, ressalta o diretor de Desenvolvimento Econômico, Tecnologia e Inovação da Prefeitura de Criciúma, Claiton Pacheco.

Na contramão da crise

Desenvolvido em 2013, em Criciúma, para atender restaurantes que precisavam automatizar o processo de pedidos on-line e entregas, o ToPedindo atende, hoje, cerca de 20 cidades no Sul catarinense e está em processo de expansão para todo o estado. São mais de 380 estabelecimentos ativos nos mais variados segmentos, como alimentação, conveniência, mercados, farmácias, pet shop, moda, saúde e bem-estar, distribuidora, casa e escritório, entre outros. A plataforma ultrapassa 23 mil clientes.

“Somos como um shopping virtual, considerados um delivery de tudo e estamos em constante crescimento. Aumentamos o faturamento em 126% em apenas dois meses. Tivemos que aumentar a estrutura da empresa e contratar mais pessoas para atender a demanda gerada pela pandemia, fomos na contramão do mercado. Também triplicamos nossos investimentos em marketing para atrair mais clientes finais para utilizarem nossa solução, pois queremos ser parceiros dos estabelecimentos, sendo a ponte tecnológica entre o cliente final e a empresa”, enfatiza Luís Felipe.

O gerente regional Sul do Sebrae/SC, Murilo Gelosa, afirma que a transformação digital, o que inclui as plataformas de vendas on-line, já vinha apresentando um percentual de crescimento muito acima do comércio físico tradicional. Com o advento da pandemia, essa forma de transação comercial digital, além de ser uma alternativa para a manutenção da economia em atividade, consolidou o que, antes, era somente uma opção.

“Com isso, muitos empreendedores locais observaram uma oportunidade de negócio para ingressarem nessas plataformas digitais, já que as pessoas que não tinham o hábito de utilizá-las, por força das circunstâncias mudaram seu comportamento de consumo, aumentando em muito a utilização destas ferramentas. Isso comprova a necessidade de que as empresas se reinventem constantemente. Está aí, mais uma vez, a velha máxima que diz ‘enquanto uns choram, outros vendem lenços’”, conclui Murilo.