Educação empreendedora revela outros caminhos para o sucesso

Projeto “Parceiro Anjo”, do Sebrae/SC e da ACISMO, contribui na formação de jovens de São Miguel do Oeste

 

“O projeto foi muito importante porque me capacitou em áreas que eu tinha dúvidas a exemplo da elaboração do currículo, de como me portar em uma entrevista de emprego e até dos procedimentos necessários para começar meu próprio negócio” avaliou a estudante Thuany Tapparello Schoingele. A jovem de 15 anos recebeu, na última sexta-feira (13), o certificado de participante do projeto “Parceiro Anjo” – que utiliza a metodologia do programa Crescendo e Empreendendo do Sebrae/SC. A solenidade de encerramento ocorreu no auditório da Associação Comercial e Industrial de São Miguel do Oeste (ACISMO), no Centro Empresarial Andromeda, área central do município.

A iniciativa é do Sebrae/SC e da ACISCMO, com a condução do educador social e coordenador do projeto Luis Alberto Schoingele. A ação faz parte de uma prática deferida pela equipe da 14ª edição do Prêmio Innovare 2017, na categoria Justiça e Cidadania. O propósito é fortalecer a economia local, gerar renda para os jovens, buscar a inserção dos alunos no mercado de trabalho e, como consequência, fortalecer o empreendedorismo de base. Durante oito etapas, que totalizaram 40 horas, os jovens entre 15 e 19 anos desenvolveram competências comportamentais para fortalecer a capacidade de transformar o mundo em que vivem, ampliar as possibilidades de realizar seus sonhos e de se preparar para enfrentar desafios.

Thuany estuda no primeiro ano do ensino médio, da Escola de Educação Básica São Miguel (E.E.B. São Miguel). O interesse pela capacitação e pelos conhecimentos sobre empreendedorismo na vida, no trabalho e nos negócios foram os incentivos para participar. Segundo a jovem, os encontros proporcionaram três etapas com assuntos diferenciados e voltados ao crescimento e ao empreendedorismo. “O que mais chamou minha atenção foi descobrir nossas atitudes empreendedoras e nossos pensamentos para o futuro”, relembrou.

Ao ser questionada sobre os conhecimentos que levaria para vida, a estudante admite que aproveitará a maioria. “O modo como nos colocamos em sociedade e como vemos o mundo ao nosso redor. Também percebemos que grandes empreendedores começaram com pouco capital e com muito empenho, dedicação e planejamento. Além disso, eles não são assim apenas em seus negócios, mas também no modo de vida", analisou Thuany.

O empresário, Antônio Daltoé, participou da seleção dos estudantes nas comunidades de São Miguel do Oeste e acompanhou algumas atividades desenvolvidas com os participantes. “É nítida a necessidade de ter um projeto social nessa área, principalmente pelo interesse dos jovens na temática de empreendedorismo. Sou administrador e empreendedor do município, por isso observo que esse campo proporciona várias opções para o crescimento profissional. Contudo, falta essa conexão, de alguém que se comprometa em selecionar os estudantes e de que mostre para eles que, independentemente, do local em que vivem possuem capacidade para empreender e transformar suas realidades”, comentou.

De acordo com Daltoé, pelo projeto os participantes compreenderam por meio dos materiais didáticos e das atividades práticas os processos que envolvem o empreendedorismo. “Como apoiador fiquei muito feliz em vislumbrar os resultados. Conversei com os jovens, que se mostraram interessados e contentes em participar. Eles demonstravam que estavam empolgados em cada encontro. Então, impactarmos positivamente a vida de um dos 15 jovens podemos considerar o projeto vencedor”, argumentou o empresário.